A única condição que separa o sonho da realidade é a força de vontade em realiza-lo!
( Adriano Hungaro )

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

 
 
 
Já fomos reféns de pilotos, de controladores de tráfego aéreo; já fomos reféns de muitos sacanas... que nunca levaram muita coisa a sério. E hoje, infelizmente, a dor nacional se repete sorrateiramente.

Numa festa bem animada... chegamos ...a conclusão que também somos reféns de porteiros, de seguranças mal informados e da impossibilidade de fuga diante das comandas não pagas. Somos reféns de sinalizadores; somos reféns do fogo e da fumaça e, depois delas, da porta de fuga fechada... de uma mortal e indescritível desgraça!

Muitos perdem entes queridos... pais do bem - dramaticamente - perdem seus filhos. E os filhos, que pena, se perdem sem uma ultima palavra de amor ou de alguma coisa que agrade; se vão sem dizer nada. E eu que sou pai - distante de tudo isso - também sinto!

Tem explicação? Tem alguma definição de fato? Porque o preço da vida é estar vivo... mas coisas assim, são realmente tristes e inexplicáveis. Não tem razão embora tiveram causa!

Na funesta discussão de muitas e muitas idéias... no sensacionalismo mercantil da mídia... (até agora) 233 jovens mortos e ninguém, absolutamente ninguém para pagar o luto.

E nós hoje, reféns também enlutecidos, morremos um pouco com a dor tão triste de tantos outros como nós!

Jovens... descansem em Paz!
Pais... descansem em Deus!


(Adriano Hungaro)
27/01/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário